Menu



A HISTÓRIA QUE A MANHÃ CONTOU AO TEMPO

(Indicado ao Prêmio Braskem de Teatro 2014)
(Espetáculo Selecionado para o Kit Difusão do Teatro da Bahia) 

Estou muito, muito, muito tocado (...) E ainda montar O Gato Malhado com apenas duas pessoas... Estou muito emocionado... Sem palavras. (...) A ideia de usar bonecos foi fantástico! (...) E ver todas essas crianças atentas... (João Jorge Amado) 


SINOPSE - Uma história de antigamente, mas muito antigamente, nas profundas do passado, quando os bichos falavam, os cachorros eram amarrados com linguiça, alfaiates casavam com princesas e as crianças chegavam no bico das cegonhas... Aconteceu naquele então , a história do amor impossível entre um gato mal humorado e uma linda e amigável andorinha.


ESTÉTICA - Resgatando a tradição dos contadores de histórias, os atores assumem personagens e narração, num jogo teatral lúdico e recheado de canções, que mescla humor e lirismo para contar, a crianças e jovens de todas as idades, uma fábula de amor e (in) tolerância entre seres de espécies diferentes.

Neste jogo-brincadeira, a criança é convidada não apenas a seguir a fábula e a se encantar por ela, como também a se entreter e se envolver, de forma espontânea, com os procedimentos cênicos utilizados.


A adaptação e direção são de Heraldo Souza, que divide o palco com Etiene Bouças. O texto é livremente inspirado na obra de Jorge Amado O Gato Malhado e a Andorinha Sinha . 


A história é um universo de afeições e toca diretamente no problema do preconceito e da intolerância. E, apesar de tudo, traz a mensagem positiva de que amar vale a pena. (Heraldo Souza, diretor) .


PROJETO - O projeto foi vencedor do edital Demanda Espontânea do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA) e fez parte das comemorações do centenário de Jorge Amado.


A peça foi feliz na sua adaptação. Simples, nada de cenários super produzidos, efeitos mega especiais ou figurinos bufantes, porém precisa e rica em beleza, em texto, em música, em interpretação, em maquiagem, em luz e cor, em música e expressão pura e artística. TEATRO. Que quero dizer é que não tinha nada demais em cima do palco que pudesse entreter as crianças pelas cores, pelo excesso. (...) O texto, mesmo sendo um espetáculo infantil, em momento nenhum idiotizou as nossas crianças. Perfeito, rebuscado na medida, lírico, na outra, com humor e romantismo. Tempo certo de peça, não mais do que uma criança possa absorver e se entreter, ou maior do que o tamanho da sua bexiga... (Tereza Saphira Cordeiro). 


HISTÓRICO: 

- CENTRO DE CULTURA OLÍVIA BARRADAS (Valença): 10 e 11 de Julho de 2013, 10h e 15h.

- ENCONTROS DE DOMINGO (Espaço Xisto Bahia, 6ª edição): 28 de julho de 2013, 9h.

- ESPAÇO XISTO BAHIA (Salvador): 13 de julho a 11 de agosto de 2013, 16h.

- FESTIVAL XISTINHO (Espaço Xisto Bahia) 2013: 08 A 13 de outubro de 2013.

- MOSTRA SESC DE ARTES (Aldeia Pelourinho, 9ª edição): 23 de outubro de 2013.


FICHA TÉCNICA: 

Texto e direção: Heraldo Souza

Co-direção: Etiene Bouças

Elenco: Etiene Bouças e Heraldo Souza

Atriz Convidada: Marilene Senna

Figurinos: Etiene Bouças

Costureira: Angélica Paixão

Cenário: Heraldo Souza

Iluminação: Heraldo Souza

Operação de Luz: Nathan Lemos

Trilha Sonora Original: Heraldo souza

Produção Musical e Arranjos: Luciano Bahia

Operação de Àudio: Raphael Veloso

Coreografia e Maquiagem: Cabriola Cia de Teatro

Máscaras e Bonecos: Grupo Ereoatá e Cabriola Cia de Teatro

Fotos: Uarlen Becker

Fotos

Vídeo

Clipagens

Parceiros:

Tenha também o seu site. É grátis!